Cães TOY , microtoy

Cães TOY , microtoy

Petescadas com múltiplos degraus (7), ideal para cães pequenos (toys, microtoys, etc.) Leia mais

Rampas, Rampas especiais

Rampas, Rampas especiais

Rampa, Petrampa em L Projeto desenvolvido de uma rampa PETrampa com medidas e condições especiais. Leia mais

Quarto de casal

Quarto de casal

Como obter a melhor opção para manter seu filhote no quarto do casal com conforto e sem destruir a harmonia do ambiente. Leia mais

Cadeirinha para megaesofago

Cadeirinha para megaesofago

Petescadas desenvolveu uma peça extremamente leve, confortável para a permanência do cão por períodos longos. Leia mais

Cama box casal, medidas

Cama box casal, medidas

Uma solução inovadora surge para atender necessidades de locais com limitações de espaço. Leia mais

Cadeirinha para megaesofago


Cães com megaesofago

Cães que tem problemas de megaesofago (doença onde a alimentação retorna) necessitam ficar em posição elevada até que a digestão seja realizada.

cães com megaesofago

Petescadas desenvolveu uma nova peça que é extremamente leve, confortável para a permanência do cão por períodos longos, muito fácil de limpar e esteticamente menos agressiva.


refluxo em cães



cães com megaesofago
Teste de uso

cães com megaesofago na cadeirinha

cão na cadeirinha

cadeirinha megaesofago

A peça faz conjunto com a caminha inclinada e o comedor elevado
para cães com problemas de megaesofago.

caminha para cães

comedor elevado


Artrite em cães, artrite canina


Artrite e artrose em cães


Nos EUA mais de 20% dos cães terminam a apresentar artrite ao longo dos anos são 15 milhões de cães com esta doença.

Artrite é uma inflamação progressiva das juntas, resultante de
má alimentação
causa congênita
obesidade
trauma e
doença da idade

artrite em cães pequenos

Fortes sinais de artrite são os cães que ficam muito quietos, não sobem ou relutam a subir escadas e dormem muito. Temos que ter atenção para não confundir com atos de envelhecimento pois os cães não expressão a dor da mesma forma que humanos. Pessoas se queixam, verbalizam, lamentam e chorram.

Cães são mais quietos e humildes quando se trata a demonstrar a dor, mostra sempre de uma forma muito mais sutil.

artrite em cães
Importantes sinais
Muitas vezes as pessoas confundem a  desaceleração de seu cão, apenas como um sinal de envelhecimento, e isto não é uma verdade absoluta, muito mais provável que seu cão esteja por abrandar os movimentos por estar sofrendo de alguma dor crônica.

Cães que dormem mais do que o normal especialmente pela manhã e relutam em sair de sua cama. 
Mantém as patas traseiras muito fechadas em repouso, fazem isso para diminuir a dor.
Rabo muito baixo tipo coelho

lambendo constantemente uma ou mais  articulações

levantam-se devagar e com dificuldade
Relutância em caminhar e caminhar devagar

Relutância em usar escadas, efetuar pulos, subir em carros, camas, sofás e partes da casa.

rigidez muscular, mancando, ou atrofia de um dos lados da musculatura


Visitar seu veterinário é fundamental para diagnosticar a artrite e gradualizar a doença, leve, moderada e grave proporcionando o tratamento adequado.

O raio X ajudará muito a localizar pontos específicos de dor

Evitar a obesidade, ter uma boa alimentação, usar petescadas ou petrampas são formas que ajudam na prevenção e firmemente contribuem nas fases de tratamento.

41 33727306
petescadas@gmail.com.br


reforçamento positivo para cães - adestramento





Treinando seu cão? Dar Recompensas funciona melhor do que dar punição

Treinamento baseado em recompensa tem demonstrado ser mais eficaz com treinadores assim como  no reino da ciência. Cientistas como Ivan Pavlov e BF Skinner atribuem benefícios a forma de usar recompensas e associações positivas para mudar comportamentos e emoções em um animal.

Pavlov descobriu que, ao longo do tempo, os animais fazem associações com certos estímulos que não provocam uma resposta inicialmente. No experimento de Pavlov e seu famoso cão, o som de um sino anunciando o jantar despertava a resposta de um cão pela salivação, porque o cão tinha aprendido com a experiência anterior a associar esta sugestão com alimentos. Esta abordagem é chamada de condicionamento clássico.

                               treinamento de cães


Casar condicionamento clássico e Condicionamento Operante

Experimentos de Skinner explorando maneiras de obter dos animais em repetir ou evitar comportamentos, cujas consequência dependem desse comportamento, por exemplo, ensinou ratos de laboratório que puxar uma alavanca resultava em um alimento que aparece na frente deles. Esta abordagem é chamada de condicionamento operante. Condicionamento clássico e condicionamento operante podem ser combinados para treinar cães com métodos cientificamente estudados e usando recompensas.

                Classico = associação a um estimulo
                Operante= faz algo e recebe em troca

Condicionamento clássico afeta o comportamento, alterando o estímulo subjacente associado com uma resposta natural, enquanto o condicionamento operante premia um comportamento desejado, aumentando as chances de que o comportamento irá ocorrer novamente no futuro. Estas duas abordagens podem ser usadas ​​num sistema de reforço positivo. Ao emparelhar recompensas e as consequências positivas com um estímulo, como dar algo de alto valor para um cão cada vez que vê um outro cão, quando antes ele ficava inseguro, um treinador pode mudar a resposta do cão de medo ou agressão à antecipação alegre cada vez que vê esse cão em particular. Esta mudança de estímulo faz com que a mudança de comportamento desejado no cão - digamos, de latindo para o outro cão a sentar-se pacificamente ao lado de seu dono.




Por que a punição é mais um problema do que uma solução

A ciência mostra que para a efetiva mudança de comportamento, tem de haver alguma motivação para a mudança. A punição é muitas vezes um motivador de escolha para os formadores tradicionais. Infelizmente, na maioria das vezes usando a punição só premia o cão, porque é uma saída para a frustração. Punição pode rapidamente sair do controle e não há uma linha tênue entre punição e abuso.

A punição nunca vai mudar o comportamento do seu animal de estimação da forma desejada. Muitas vezes o animal não vai entender o porque ele está sendo punido e irá associar outras coisas com a punição, muito diferente do que o que se pretendia. Isso pode dificultar a ligação entre animais e as pessoas, como exemplo o proprietário é percebido pelo cão como alguém que é "inseguro." Como resultado, o cão vai se intimidar com medo do proprietário.

Quando os cães são punidos, eles também começam a associar certas situações com algo que eles não gostam, nesta situação, um cão pode apresentar aumento da agressividade. Isto pode ser visto em cães que são puxados em sua coleira com pinos quando ele puxa/esticar para um outro cão em uma caminhada, eventualmente, o cão começa a sua reação a latir quando vê um outro cão, porque a visão de um outro cão significa que ele vai ser punido, ele já se antecipa a punição ou sofrimento.

Os cães que são punidos podem inibir temporariamente o seu comportamento, a fim de evitar a punição, mas eles não aprendem um melhor comportamento e tem lugar o comportamento indesejado. No longo prazo, tanto o comportamento antigo volta novamente ou outros comportamentos indesejados tomam seu lugar. A fim de mudar o comportamento de um cão com o modelo punição, a punição tende a ser aumenta de intensidade com o tempo, porque os cães crescem insensíveis a ela. Os cães que são treinados usando métodos de punição também adquirem um aumento da agressividade e maior tendência a morder, o que pode torná-los um perigo para crianças ou adultos desconhecidos.




Por que o reforço positivo é preferível

Castigo não é um método que pode ser usado por toda a família, que transporta um grande risco tanto a família como aos animais de estimação. Treinamento de reforço positivo, por outro lado, é algo que toda a família pode estar envolvida, desde crianças a idosos. Usando recompensas não requer o uso da força, ele simplesmente requer criatividade. Escolha o comportamento que você quer para reforçar o comportamento indesejado e o que você quer que ele substitua, como fazer o seu cão sentar e aguardar em vez de pedir à mesa, e use a recompensa para obter do seu cão o comportamento aceitável. Isto irá aumentar a probabilidade do comportamento desejável recorrente, ao passo que o comportamento indesejado pare.

Com a formação baseada na recompensa, você vai substituir o medo e a inibição do que é aprendido com treinamento por punição para um comportamento de confiança e alegria. Treinamento baseado em recompensa é cientificamente sólido para a mudança de comportamento duradouro e proporciona uma linguagem comum entre animais de estimação e pessoas que aprofunda o vínculo humano-animal. Com a evolução das relações ocorre a interação, onde ambos já se conhecem chegando até a comportamentos esperados mas que nunca antes foram treinados ou aprendidos. 


                                     Petescadas 41 33727306
                                      petescadas@gmail.com
                                           @petescadas

pneumonia canina , megaesofago e refluxo em cães



pneumonia canina



Descritivo das causas da pneumonia canina e como a petescadas participa no tratamento deste processo, além dos tratamento de doenças do aparelho digestivo, como refluxo  e muitas outras. Diversas doenças ou causas são os protagonistas do inicio da pneumonia, lesões de esófago, lesões de estomago, paralisia da laringe, refluxo gastrointestinal, e muitas outras.



A pneumonia canina ocorre quando há entrada de líquidos, secreções do próprio corpo ou outras substâncias, das próprias vias aéreas superiores ou do estômago indo parar dentro dos pulmões, nestas condições, se desenvolve a pneumonia que, em grande número de vezes, é originada por um anaeróbio – bactéria que sobrevive na ausência de oxigênio. Em muitos casos o conteúdo que é aspirado para um ou ambos pulmões é do suco gástrico do estômago, que é ácido, inicialmente causa uma pneumonite (inflamação) nos pulmões; após isso, ocorre o desenvolvimento da pneumonia. 


A dificuldade de engolir pode ser consequência desde uma banal incapacidade dentária até graves doenças com consequências devastadoras se não cuidadas adequadamente e percebidas em tempo, cães de todas as idades estão sujeitos e mais intensamente na idade sênior principalmente em paralisia de laringe. Estas doenças podem ser por propensão genéticas ou adquiridas no ciclo da vida.



Paralisia de laringe: é uma degeneração dos nervos que controlam os músculos que movem as cartilagens da laringe, localizada na garganta. É um controle do fluxo de ar pelas cartilagens dentro e fora da traqueia que ocorrem durante a respiração. 

Durante a deglutição, a função da laringe normal é proteger a via aérea, fechando a abertura para a traqueia e prevenindo a aspiração de alimentos ou água (líquidos). Na paralisia laríngea, a obstrução respiratória ocorre porque as cartilagens permanecem numa posição central causando resistência das vias aéreas, em vez de abrir as vias aéreas durante a inspiração.

A paralisia de laringe pode ser bastante grave, requerendo cuidados muito especiais. Já os principais sintomas de indisposição  podem ser muito diminuídos com alimentadores elevados. (comida e água) 



                  comedor elevado       comedor mais alto para cães


Cães idosos, com artrite, problemas de coluna, restrições musculares, tem serias dificuldades de se abaixar para atingir potes no nível do piso, quanto maior o cão mais difícil ficam estes movimentos

Polineuropatia: os nervos responsáveis ​​pelo movimento da laringe surgem do nervo vago, um dos principais nervos do corpo. As investigações clínicas têm mostrado que outros nervos também são afetados, levando a sinais clínicos iniciais como a função de engolir, lentamente progredindo até um etapa final de fraqueza e perda de massa muscular.

Um ajuste importante para a vida depois que seu cão foi diagnosticado com GOLPP- Geriatric Onset Laryngeal Paralysis Polyneuropathy.
( Paralisia da laringe pelo avanço da idade.)


Está em modificar a maneira como seu cão é alimentado e como e onde dormem a fim de prevenir a pneumonia de aspiração. Há uma degeneração progressiva concomitante da função esofágica, e em estágio grave a pneumonia por aspiração. Para ajudar a impedir a aspiração depois de comer e beber, alguns cães podem se beneficiar ao receber alimentação em um plano inclinado. Ao contrário do chão plano, onde o esôfago do cão esta na horizontal com o chão, melhor que fique de pé sobre um plano inclinado 45 °, enquanto come e bebe necessita da força da gravidade para ajudar o material a ir em movimento através do esôfago de forma mais suave e rápida. Alguns dos nossos donos de cães que tem a anomalia tem notado que este método de alimentação diminuiu a incidência do seu cão de ter tosse após as refeições.

                      megaesofago canino



Comedouro elevado para cães com dificuldade de engolir e necessidade de evitar a aspiração de alimentos ou líquidos.



cães com megaesofago

No uso do comedouro a energia gravitacional tende a trabalhar a favor da ingestão do alimento ou liquido em um sentido determinado em diagonal ao corpo do animal.

O mesmo acontece com a cama do animalzinho que tem de ficar em plano inclinado evitado que o animal venha a ter líquidos aspirados pelos pulmões.
Muitos cães em situações não tão graves são muito beneficiados com o uso de camas inclinadas, seja por azia, refluxo, ou pequenas indisposições de regurgitação.

Petescadas produz suportes para camas projetados exclusivamente para cada animal, em função de seu porte, peso, doenças e situação clinica.

O projeto da caminha

caminha para cachorros

A caminha pronta
caminha inclinada para cães

cama com inclinação para cães


Petescadas também produz comedouros onde são apoiados os potes em plano inclinado, mas que se adaptam as medidas especificas deste cão, sua altura, comprimento de perna, cernelha, comprimento de corpo, etc.

O projeto do comedor
pote de comida para cães

o comedor pronto
comedor para cachorros

potes para cães

Diferentes alturas de potes podem ser usadas para facilitar o uso pelo cão,
o suporte que retem o pote tem regulagem de altura.

Para cada cliente é desenvolvido um projeto único  onde o cliente leva a apreciação de seu veterinário e o cliente obtem uma integração com o ambiente de sua residência adequando as necessidades do animalzinho, concentrando as diversas necessidades do projeto.

Petescadas também produz colares para cães chamados Heavy duty (super pesados),
não produz os normais para evitar que o cão lamba uma ferida ou remédio, etc.
Os colares produzidos tem uma consistência muito forte e projetados exclusivamente para este cão, sob encomenda.
O principal objetivo é fazer com que a cabeça fique sempre acima das demais partes do corpo
mesmo que o cão deite, tente dormir ou faça qualquer movimento.

colares para cães

pescoceira para cães



megaesofago


é uma condição que ocorre também em seres humanos, e em cães e gatos quando deixa de ocorrer adequadamente o peristaltismo (contração muscular que conduzem os alimentos) e o esófago é ampliado. Normalmente, quando esôfago do animal está funcionando corretamente, ele age como um músculo e empurra a comida para o esôfago e para o estômago. No entanto, quando um animal tem megaesôfago, o esôfago permanece alargado e não empurra o alimento para o estômago. Portanto, a comida deixa de entrar no estômago e, muitas vezes permanece no esôfago, e eventualmente é regurgitada, ou entra nos pulmões através da respiração, ou decai no esôfago.


mini cão com megaesofago

o cão tem que ser mantido na posição em pé, após as refeições até a digestão.
seja dentro de pote ou qualquer outro que assim possa mante-lo.

cadeirinha para megaesofago

Esta é a famosa Bailey chair
cadeirinha feita para manter o cão em pé após as refeições.

cão passeando no barco
Cão passeando com seu dono no barco após a refeição, exceto pelo desconforto
pós refeições e uma alimentação regulada a vida segue seu curso natural e feliz.
Petescadas fornece cadeiras sob encomenda e feita a medida em cada caso.


Megaesôfago também pode ser um sintoma de uma outra doença em cães chamada miastenia gravis. A miastenia gravis é uma doença neuromuscular onde o sintoma principal é a fraqueza em várias partes do corpo do cão. No entanto, quando a miastenia grave ocorre em cães idosos é considerada como uma doença imune-mediada (funçao da imunidade celular). Muitas vezes, quando a miastenia gravis é diagnosticada em cães mais velhos, o primeiro sintoma que pode se manifestar no cão é o megaesôfago.

Miastenia grave ocorre quando os receptores de acetilcolina (receptores nicotínicos de acetilcolina ou AChRs) não funcionam corretamente. Devido à incapacidade dos nervos receptores a funcionar de forma adequada, os músculos não tem um estímulo que provocam a sua contração.

Uma distinção importante no reconhecimento megaesôfago é a diferença entre e quando um cão regurgita ou vomita. Regurgitando é um sintoma comum de megaesôfago, enquanto o vômito não está necessariamente associada ao megaesôfago. Quando um cão regurgita não há geralmente muito esforço envolvido diferente de quando um cão vomita. Muitas vezes, quando regurgitando, o cão vai virar a cabeça para baixo e o líquido e / ou alimentos, quase parecem "vazar" de sua garganta.

Pontos-chave
Megaesôfago refere-se a um síndrome em que o esófago torna-se fraco e flácido, e, posteriormente, torna-se muito maior do que o normal, e daí o termo megaesôfago.
Megaesôfago é diagnosticada por radiografias (raios-x) do peito.
A não ser que uma causa subjacente seja encontrada, não há cura para o megaesôfago.


A maioria dos cães com megaesôfago vai precisar de algumas modificações em sua dieta. Dependendo da gravidade do seu estado, o seu cão pode precisar mudar sua alimentação para um baixo teor de gordura com dietas especiais. O cão vai precisar ser alimentado com uma comida de alta qualidade. Às vezes, necessitando a adição de suplementos nutricionais, como garantia.

Este filme mostra um cão com esta deficiência e usando sua cadeirinha para fazer sua refeição. Com muito carinho e dedicação seus tutores mantem uma alta qualidade de vida e ele é saudável e feliz.




A cadeirinha vai acompanhar o cão nos seus diversos momentos no ciclo de vida, alguns cães que tem a ocorrência desde pequenos, tem que ir mudando as medidas da cadeirinha ao longo do tempo.


eles também merecem viver, produtos que dão uma ajuda e são uma opção a eutanásia.

Petescadas esta participando de um projeto acompanhado e solicitado por importante instituição medico veterinária para desenvolvimentos inovadores no mercado brasileiro para novas técnicas, equipamentos e tratamentos de doenças em pequenos animais que venham a solucionar problemas e dificuldades.

Face ao tema necessitar ainda muitos desenvolvimentos buscando melhorar a qualidade de vida de nossos animais zinhos, convido aos envolvidos, sejam veterinários, auxiliares veterinários, tutores a compartilhar suas experiências e apresentar sugestões de melhorias necessárias a ocorrências de saúde.

Colares anti-movimento de abaixar a cabeça

  colares de grande porte para cãescolares para megaesofago



Cadeirinha para refeição e aguardar a digestão






cadeirinha para megaesofago


Petescadas produz também peças especiais de fisioterapia, tratamentos clínicos, e recuperação.
fisioterapia em cães         acupuntura em cães



Petrampas especialmente fabricadas, para cães com deficiência visual, apresentam guard rails uma especie de corrimão que impede que caia até atingir a altura da cama.

cães deficientes visuais

Cachorros com dificuldade visual


Veja mais em http://www.petescadas.com.br/2014/07/miastenia-em-caes-megaesofago.html#.U-ge8uNdWSo   Dicas de como tratar o megaesofago

Contate agora mesmo
petescadas@gmail.com
41 33727306
www.petescadas.com.br 




sonho de um cão









motociclismo - cãozinhos motoqueiros



Como transportar cães em motos

Todos nos sabemos o quanto nossos bichinhos gostam de andar em veículos para ter o vento no focinho e esvoaçar seus pelos.

cão passeando de carro

Mas já que nossos bichinhos não podem andar sozinhos nas suas motos os apaixonados por motocicletas teriam um grande prazer em poder transportar nossos animaizinhos nas suas motos, apesar de não ser uma pratica totalmente segura e ter muitas restrições da legislação, seria algo muito apreciado pelos donos de cães.

Além dos riscos naturais de acidentes com motos, prevenir a secagem dos olhos pelo vento, os movimentos involuntários, prover óculos, capacete, etc é dever dos donos.

motociclista- cãozinho

Abaixo uma sequência divertida de fotos, com diversos suportes bauletos, baús  e sidecars para transportar os cãezinhos em belos passeios de motociclismo e no final fotos de como não fazer.

fotos de motos - imagem de motos

Neste, onde uma corrente presa ao peitoral limita o movimento impedindo que o animalzinho pule

fotos de motos- imagem de motos

fotos de motos- imagem de motos

fotos de motos - imagem de motos
Sidecar especialmente para motos e transporte de animais



fotos de motos - imagem de motos
Side car hiperventilado

fotos de motos - imagem de motos
caixa para moto de grande porte

fotos de motos custon
Só de olhar a foto da para ver a atenção e o carinho com o animal

fotos de motos - imagem de motos
Apesar da foto antiga , uma grande interação entre animais

fotos de motos

fotos de motos - imagem de motos
Passeio em família 

fotos de motos custon

fotos de motos
do jeito certo

fotos de motos -  imagem de motos
Um jeito caro de ir ao parque, mas o certo

fotos de motos
                                     Um belo passeio

cãozinho motoqueiro
Motociclista Harley davidson

fotos de motos
Um certo improviso

fotos de motos

fotos de motos
muito risco

baú para motos

fotos de motos
alto risco

fotos de motos
Jeito errado


fotos de motos
risco  alto muito perigoso