Cães TOY , microtoy

Cães TOY , microtoy

Petescadas com múltiplos degraus (7), ideal para cães pequenos (toys, microtoys, etc.) Leia mais

Rampas, Rampas especiais

Rampas, Rampas especiais

Rampa, Petrampa em L Projeto desenvolvido de uma rampa PETrampa com medidas e condições especiais. Leia mais

Quarto de casal

Quarto de casal

Como obter a melhor opção para manter seu filhote no quarto do casal com conforto e sem destruir a harmonia do ambiente. Leia mais

Cadeirinha para megaesofago

Cadeirinha para megaesofago

Petescadas desenvolveu uma peça extremamente leve, confortável para a permanência do cão por períodos longos. Leia mais

Cama box casal, medidas

Cama box casal, medidas

Uma solução inovadora surge para atender necessidades de locais com limitações de espaço. Leia mais

edredon, o cheiro do dono



Edredon, com o cheiro do dono

Um fabricante de edredon para cães lançou uma ideia que não é nova mas é interessante para usarmos quando precisamos acostumar um animal a ficar em um determinado local, diminuir a ansiedade da separação (quando saímos) ou aumentarmos a sensação de presença junto ao nosso cão.


                   ededron para cães



A Molly Mutt é bem simples. Ele foi projetado pelo co-proprietário Molly Mundt para seu uso com seus próprios três cães em casa, na Califórnia.

Molly Mutt é um edredon para os cães; basicamente um saco do material (patente pendente). O conceito é simples. Preencha o edredon com seus cobertores e roupas velhas para fazer uma cama durável. O edredom será um sucesso instantâneo com o seu cão pois a cama tem o cheiro de seu proprietário. O edredom é feito de tecido de algodão pré encolhido 100% e é totalmente com zíper para torná-lo fácil de remover retirando o refil para lavar.

O Mutt Molly é uma ótima maneira de reciclar roupas velhas e utensílios domésticos de tecidos. 


ONU, organização das nações unidas, Dachsund




ONU - Dachsund
Cãomissão da Onu
A Comissão das Nações Unidas mais bonita de todos os tempos (Só Dachsund )

                                         Nações unidas



Para sua nova performance, o artista australiano Bennett Miller reuniu uma assembleia da Comissão das Nações Unidas sobre Direitos Humanos na praça do Museu Melbourne. A parte que é "arte" é que todos os delegados da reunião são cães. Todos Dachsund cada um representando um país. 


Dachsund ONU, é parte do Next Wave Festival, é uma "meditação sobre as aspirações utópicas da Comissão de Direitos Humanos, e da nossa capacidade como seres humanos de imaginar e criar um sistema universal de justiça." 


                            .Nações unidas

Miller, um artista de 29 anos de idade, de Perth, diz que escolheu dachsunds por suas semelhanças com os seres humanos: "Eles têm a sua própria diversidade racial - preto, marrom, vermelho. Além disso, mesmo que eles estejam limitados na sua movimentação, eles estão bastante determinados e orgulhoso. "Ele foi capaz de reunir sua assembléia das Nações Unidas com a ajuda do ClubeDachsund de Victoria, cujo ceticismo inicial foi superado uma vez Miller foi capaz de demonstrar que ele não iria "retratar os cães de uma forma humilhante."


'' No começo eu pensei 'piada, '' diz Ms Cornelissen. '' Mas [Miller] veio ao lugar certo. Nós mostramos nossos cães, Eles vão representar bem .'' nossos Dachsund



nações unidas 
 



Fukushima, usina nuclear





Fukushima



Membros do United Kennel Club Japão (UKC Japão) que são dedicados aos cuidados com animais de estimação que foram resgatados de dentro da zona de exclusão ao redor da Daiichi Fukushima afetado pela usina nuclear, e levados para um abrigo para animais do grupo na cidade de Samukawa.

                         Cães resgatados


Cães e gatos que foram abandonados na zona de exclusão Fukushima após a crise nuclear do ano passado tiveram de sobreviver a radiação alta e falta de água e comida, e agora eles estão lutando com o clima da região de inverno frio. Um terremoto de 9,0 graus de magnitude e enorme tsunami em 11 de março provocou o pior acidente nuclear do mundo em 25 anos e forçaram moradores ao redor da usina nuclear de Fukushima Daiichi a fugir, com muitos deles tendo de deixar para trás os seus animais de estimação. 

                           cães resgatados

                                            Cão resgatado após acidente nuclear



Paraquedismo



Paraquedismo, Cães pulando de paraquedas de altas altitudes


CÃES estão liderando o caminho em  incursões depois de pular de pára-quedas para espiar as tropas rebeldes, atras de suas próprias linhas.


                     paraquedismo


Destemidos pastores alemães forma treinados para saltar de aviões militares de 25 mil pés, usando suas próprias máscaras de oxigênio como agente de paraquedismo e amarrado a equipes especiais das forças de assalto.

Uma vez no terreno hostil no Iraque ou no Afeganistão, os cães são enviados primeiro para procurar esconderijos dos insurgentes com pequenas câmeras fixadas em suas cabeças.
As câmeras enviam de volta imagens de TV para as tropas, alertando para emboscadas ou mostrando a localização dos líderes inimigos ". A tática é incrível - em que a tropa têm sido totalmente informada - foi concebida para reduzir os números do regimento com baixas crescentes.

Os cães serão usados ​​em uma técnica altamente qualificada de paraquedismo chamado Abertura High Altitude, saltando  bem distante quase 20 milhas de suas metas e deslizando em direção a eles por até 30 minutos.
A unidade de elite dos Estados Unidos a primeira das forças especiais Delta -Destacamento Operacional, comumente conhecida como Delta Force, foi pioneira nas habilidades para saltar com cães de alturas superiores a 20.000 pés. 

Os cães já pulavam de para-quedas mas nunca a estas altitudes no paraquedismo. Os cães têm grandes vantagens sobre soldados na medida em que despertam menos suspeita como alvos se aproximando, pode se espremer em espaços menores e pode farejar armadilha com explosivos.

PS- esperamos que logo robôs possam fazer este serviço sem sacrifico de nossos animais em alto risco em incursões e paraquedismo.


hotel para cães, Yorkshire, luxuria







Luxuoso hotel para cães aberto em Yorkshire... para cães?

Yorkshire (Yorkshire é o maior condado da Inglaterra, cobrindo aproximadamente 15 000 km², com uma população de 5 milhões de habitantes. A sede do condado, e a cidade de York )

yorkshire


O cão Yorkshire e seu surgimento. O surgimento do yorkshire terrier está atrelado a fatos históricos ocorridos na Grã-Bretanha, mais precisamente na região que deu nome a raça no nordeste da Inglaterra, antes do reconhecimento oficial do Yorkshire. No fim do século XI, os servos adquiriram a permissão de criarem cães, porém seu tamanho não deveria ultrapassar o de um aro metálico de sete polegadas de diâmetro. Esta, acredita-se, pode ter sido a causa do início dos cruzamentos artificiais que deram origem às raças posteriormente chamadas de terriers (animais que caçam presas que ficam em tocas). Na época, o cão que passasse sem problemas por esse aro era considerado pequeno o suficiente para não caçar, já que a classe servil, à qual pertenciam seus donos, não tinha o direito à caça nos domínios senhoriais.


O Condado de Yorkshire está prestes a ver muitos mais amigos de quatro patas chegarem ao município, com um hotel super-confortável, no norte da região em seus planos esta abrir o primeiro hotel do Reino Unido que seria um spa de luxo dedicado a cães.

Trinta milhões de libras( 90 milhões de reais) já foram gastos na melhoria do Raithwaite Hall em Sandsend com o hotel saudando os visitantes humanos há apenas duas semanas. Agora, no entanto, eles planejam levar as coisas um passo adiante -'o hotel para cães, que terá instalações de spa, incluindo uma piscina especiais de hidroterapia, higiene alimentar e aulas de obediência.'

As suites estarão em uma parte separada do hotel denominado Keep 

Não há muitos hotéis no Reino Unido que tenham facilidades que permitem animais de estimação para ficar no alojamento com os donos, mas esta ideia podia atrair turistas potenciais de levar seus cães em férias em família e pode se tornar uma grande quantidade de novas receitas para os hoteleiros e donos de pousada na região de Yorkshire.

Animais de estimação são uma indústria de bilhões de libras com alimento animal  sozinho representa o valor de £ 1.8 bilhão de Liras na Grã-Bretanha. O número de lares britânicos com cães e gatos também ultrapassou pela primeira vez nos últimos cinco anos records anteriores, com uma estimativa de 8,3 milhões de cães no Reino Unido.


yorkshire


Paul Ellis, diretor do Grupo Skelwith no norte da Inglaterra, proprietários do 80-acres Raithwaite Salão imobiliário disse: "Abrimos um hotel fantástico para os seres humanos e queremos ser capazes de oferecer a experiência dos hóspedes também para os cães. Os cães são frequentemente uma grande parte da família, assim, que nós queremos cuidar deles como viajantes também. "


chihuahua, Budismo, Cãobudismo,





chihuahua 


No Budismo se unem as palmas das mãos para rezar para a iluminação. Mas Conan, um chihuahua, se tornou uma atração popular em um templo de Budismo japonês depois de aprender a imitar os fiéis em torno dele.



"Conan começou a se colocar em posição de oração como nós sempre que ele quisesse", disse Joei Yoshikuni, um chefe budista em Jigenin templo no sul da ilha de Okinawa.


                      Budismo


Hama um cão coreano, é tido como um cão que tem uma motivação religiosa um pouco além da repetição de atos de seus humanos, verdade ou não cada vez mais cães são encontrados e participam no momento de oração de várias religiões

budismo





A vida em Paris, de um cão



Viver em Paris


Os cães são parte da da vida cotidiana em Paris. Eles estão com os seus proprietários nos restaurantes, nos salões de cabelo, no Metro, e absolutamente em toda parte nas ruas. Às vezes eles estão na coleira, e se cansado, eles podem ser transportados nos braços de seu dono ou até mesmo colocados em um carrinho de bebê. Mas, mais frequentemente do que se imagina, eles estão andando soltos pelas ruas de Paris, impecavelmente comportados, e sempre na companhia de seus proprietários. Esta visão dos cães desencadeadas nas movimentadas ruas de uma das maiores cidades do mundo é incrivelmente desconcertante para um americano na cidade. Seu primeiro pensamento é: "É um cão perdido! Onde está o proprietário?" 


                    cães socializados


Então, como você abordaria um cão em um cruzamento movimentado, você provavelmente vai perceber que ira fazer contato com seu proprietário que esta ali perto, que pode falar uma palavra de restrição, ou colocar uma mão tranquilizadora fugazmente em seu pescoço. 

O pensamento de cães vai ser de pouco contato, especialmente em uma cidade grande, é bastante estranho para a forma como os americanos vivem com seus cães. Os americanos sentem que é obrigação social garantir que os nossos cães estão "sob controle", - controle físico, imposto externamente. Em Paris, por outro lado, os cães estão muito mais sob controle do que os EUA, mas parece ser um controle que é internalizado dentro do cão, que tem sido tão amplamente socializado que ele não tem a necessidade de uma coleira constrangedora.

Em vez disso, os parisienses reconhecem profundamente a natureza social dos cães, e os cães, por sua vez, parecem perceber o tipo de auto-contenção que é necessário para a sua liberdade individual e para o trabalho. Cães se encontram socialmente na rua em Paris, mas não fazem pressão, rosnado, ou mesmo se impondo. Eles podem interagir de uma forma casual amigável, ou podem simplesmente ignorar o outro. Eu gosto de pensar que os cães são incentivados em Paris para alcançar o seu pleno, potencial como cão. Não sei se alguém já fez uma análise estatística, mas eu não ficaria surpreso se 50 por cento das empresas em Paris tenha cães residentes. Estes animais se tornam parte da personalidade do estabelecimento e parte da experiência de fazer negócios por lá. 


E muitas vezes não são vistos estranhamente ou como inadequados nos arredores. A loja de roupas aqui perto tem um poodle miniatura. O bar da esquina, por outro lado, tem um velho, boxer, tigrado. De vez em quando, ele passeia lentamente para fora da porta para a calçada, olha para cima e para baixo da rua, fareja o ar um pouco, e depois passeia retornando para dentro.  Você quase pode imaginar um toco de charuto preso na mandíbula. A vida em Paris conta com os cães que são parte regular da cena de restaurantes, onde, se eles pertencem a um cliente, eles estão quietinhos debaixo da mesa ou no colo de seu dono até durante a refeição e mesmo por períodos longos. Se há uma cadeira extra, ninguém se importa se o cão se senta à mesa. 



cães de paris


Todo mundo os admira, e a eles é abertamente oferecido petiscos. Ninguém, até onde eu sei, jamais ficou doente em Paris devido a esta infração terrível da saúde pública. Se o cão pertence ao dono do restaurante, ele geralmente tem um ar cansado da vida e ignora a maioria dos clientes. Uma exceção era um terrier que vi uma vez em um café que  pulou em cima de todos os clientes pedindo - e sendo dado - petiscos. Os cães são aceitos em quase todos os lugares em França. E onde eles não são aceitos, este é anunciado muitas vezes com a fraseologia: ". Lamentamos muito que os nossos amigos, os cães não são permitidos para ... (motivos particulares indicado) Mesmo quando" não permitidos ", os parisienses que são despreocupados sobre as regras expressas, mas absolutamente respeitoso das regras não expressas - normalmente levam seus cães de qualquer maneira. E porque a interação social e de relacionamento é tão importante para o comércio francês, o proprietário do estabelecimento não se digna a questionar ao cliente. deixe seu amigo fora (regra não escrita). Para que são feitas as regras, afinal, se não for para serem quebradas?

Texto de "paris postcard" um francês da gema, espero um dia que nos no Brasil possamos andar tranquilamente com nossos cães socializados e aceitos.





Cleo Pires, Yasmin Brunet, Fiorella Mattheis, Raica Oliveira, Ellen Jabour, Thaila Ayala e Fernanda Tavares






Cleo Pires, Yasmin Brunet, Fiorella Mattheis, Raica Oliveira, Ellen Jabour, Thaila Ayala e Fernanda Tavares, são as estrelas da campanha da Ampara Animal

A ONG Ampara Animal apresenta oficialmente à população de São Paulo sua exposição  
                 “Ampara Animal”. exposição de cães



Com fotos de Jacques Dequeker, Está agendado para o Shopping Iguatemi, e ficará em exposição até 22 desse mês em São Paulo, coletânea de fotos de diversos modelos e celebridades Cleo Pires, Yasmin Brunet, Fiorella Mattheis, Raica Oliveira, Ellen Jabour, Thaila Ayala e Fernanda Tavares são estrelas do evento.


O objetivo da campanha é a conscientização sobre a adoção animal. Tudo feito sem remuneração aos participantes.


cão pequeno, um micro cão que trabalha




Cãozinho é o menor cão que trabalha. Um micro cão.

                         york terrier


ESTE york miniatura detém o recorde mundial por ser o menor cão de trabalho no planeta.
Ao cão pequenino foi dada a honra de Guinness World Records depois de ter sido encontrado por ser menor do que o detentor do título anterior.

A pequena Lucy, que pesa apenas 2,5 £ (1,13 kgs) - o equivalente a 12 salsichas - é um cão de terapia para idosos e deficientes. A adorável de três anos de idade, Yorkshire Terrier visita hospitais, asilos e escolas especiais perto de sua casa em Nova Jersey, EUA, como parte do grupo de voluntários palavras do Amor.

Orgulhosa proprietária Sally Leoa Montufar, 56, ficou chocado quando 5.7in (14,5 centímetros) Lucy foi reconhecida pelo Guinness. Ela revelou: "Eu disse que aposto que ela não é o menor, mas eu tenho certeza que ela é o menor cão  em terapia."



Drogas




Cães procuram drogas em escolas americanas

busca de drogas

Com uma forma interessante de procurar por drogas em escolas Americanas, sem invadir a privacidade dos alunos, cães vasculham armários e locais de circulação atras de drogas, sinais de sua presença ou que foram usadas nestes locais.


São treinados para usar seu faro apurado onde podem facilmente identificar uma serie de substancias proibidas, principalmente de drogas pesadas. A preocupação com o uso de drogas têm aumentado nas escolas do ensino médio, onde os farejadores contribuem na sua identificação, quando os alunos não estão mais presentes, agindo proativamente. 





Propaganda - Anúncios




Propaganda e Anúncios para cães


A idéia de um anúncio de televisão criado especificamente para os cães com latidos pode parecer louco, mas é exatamente isso que os telespectadores do Reino Unido acompanharam na TV.



                     anuncio para cães


O anúncio da Bakers fabricante de comida de cachorros, que vai exibir um comercial na ITV1, em sua propaganda que contém frequências que apenas os caninos podem ouvir. Em sua propaganda formulada para ser exibida em um programa de grande audiência para milhões de espectadores humanos.

O anúncio mostra um número de cães que fazem um ousado plano para roubar uma van cheia de produtos para panificação, quase empurrando o veículo de um penhasco. Uma série de assobios por todo o comercial é feito para alertar quaisquer caninos que estão assistindo em casa.

O anúncio foi testado com 12 cães, todos eles com sinais de reconhecimento para os ruídos acima de 17.000 Hertz. Bakers espera que o anúncio vai ser visto por cães em todo o país, e animar os proprietários fazendo-os pensar que os cães estão interessados ​​no produto.

"Sons em alta frequência não podem ser ouvidas pelo ouvido dos seres humanos, mas apelamos para a dos cães pois sua audição é duas vezes mais forte", disse Zara Boland, um especialista em animais, que aconselhou a Bakers.

"Nossos especialistas caninos tem criado um anúncio intercaladas com sons, incluindo sinos, latidos e assobios - que os cães amam -. E ruídos de alta frequência que só eles podem ouvir"

A Bakers por, Mark Zaki disse: "Estamos sempre procurando novas formas de entregar uma experiência envolvente para os nossos consumidores, Com esses sons especiais esperamos que isso proporcione diversão para os cães e seus proprietários.".

cães na china





Cães na China
Amante dos animal Chinês adota 140 cães de rua 



cães na china

Li Zongwen, fez manchetes após a mídia chinesa descobrir que ele retirou 140 cães de rua da periferia da cidade.


O homem de 59 anos começou a adotar animais de rua de Wuhan, em 2009, e em apenas dois anos de tempo que ele tem adotado os impressionantes 140 cães de rua. Ele colocou um teto sobre suas cabeças, mas admite que não podia dar-se ao luxo de alimentar todos eles, sem doações de outros amantes dos animais locais. Alimentos e aluguel para o Sr. Li e sua grande família de caninos custa em torno de 5.000 yuans (760 dólares), que é muito mais do que ele poderia pagar por conta própria. 


cães na china



Partilhar a casa com 140 animais não é exatamente uma tarefa fácil, considerando-se o barulho que ele tem que aturar durante a noite, e a bagunça considerável que ele tem que limpar depois, mas Li Zongwen não reclama. Pelo contrário, ele gosta de tê-los em seu entorno enquanto prepara uma grande tigela de ração para os cachorros, usando uma pá de jardim, e ainda come suas refeições na companhia deles. Talvez ele devesse entrar em contato com Ha Wenjin, a mulher que cuida de 1.500 cães e 200 gatos na china , eu tenho certeza que eles têm muito a aprender uns com os outros.



cães na china


Sempre houve muita controvérsia sobre o modo como os chineses tratam os cães e gatos, especialmente com vídeos sangrentos de cães sendo mortos violentamente e preparados como alimento, mas na realidade, pessoas como Li Zongwen são prova de que as coisas estão mudando na parte leste. Durante séculos, a maioria dos chineses têm sido muito preocupado com a alimentação deles e suas famílias para não desperdiçar comida, mas nos últimos anos a sua atitude para com os cães esta mudando gradualmente.






como adestrar um cao - Agressividade dos cães




Adestrar 

Aqui está um artigo interessante do ScienceDaily.com Sobre as origens de cães agressivos. Não é de surpreender que conclui que, "são os proprietários que são os principais responsáveis ​​pelos ataques, devido à posição dominante ou a concorrência de seus animais de estimação." Confira e conte-me seus pensamentos na seção de comentários.

                                       pitbull



Muitos cães são colocadas para adoção ou abandonadas devido à sua natureza violenta, mas ao contrário da crença popular, a raça tem pouco a ver com o comportamento agressivo de um cão em comparação com todos os fatores que são dependentes do proprietário. Isso é mostrado em um novo estudo da Universidade de Córdoba, que inclui raças que são considerados agressivos por natureza, como o Rottweiler ou Pit Bull.


As conclusões, no entanto, são surpreendentes: são os proprietários que são os principais responsáveis ​​pelos ataques, devido à posição dominante ou a concorrência com seus animais de estimação.


A equipe de pesquisa da Universidade de Córdoba (UCO) determinou uma série de fatores externos que são inerentes aos cães, a fim de compreender a sua agressividade, e eles têm observado que os fatores externos, modificáveis ​​e dependentes do proprietário têm uma maior influência sobre o animais.


De acordo com Joaquín Perez-Guisado, principal autor do estudo e pesquisador da UCO, alguns dos fatores que causam a agressividade em cães são: 

                    pela primeira vez dono de um cão, 

                    não sujeitar o cão no inicio a treinamento básico de obediência; 

                    tratar mal ou mimar o cão, 

                   não usar a punição física quando é necessário;

                   comprar um cão de presente, como um cão de guarda ou por impulso; 

                  deixar o cão com um fornecimento constante de alimentos, 

                  ou gastando muito pouco tempo com o cão, em geral, e nas suas caminhadas.


"A não observância de todos esses fatores modificáveis ​​irá incentivar este tipo de agressividade e estaria de acordo com o que seria coloquialmente chamado de 'dar ao nosso cão uma má educação'", Perez-Guisado explica.

O estudo, que foi recentemente publicado no Journal of Animal e Advances veterinárias, é baseada no fato de se segue: cerca de 40% de agressão do domínio em cães está associada com a falta de autoridade por parte dos proprietários, que nunca tenham realizado treinamento básicos de obediência com seus animais de estimação ou que tenham realizado apenas o mínimo de treinamento.

A Raça tem menos influência sobre a agressividade

Os pesquisadores espanhóis estudaram 711 cães (354 machos e 357 fêmeas) dos quais 594 eram puros e 117 mestiços, eram cães com mais de um ano de idade. Entre as raças observados estavam o Bull Terrier, o American Pit Bull Terrier, o alsaciano, o Boxer, o Rottweiler, o Doberman, bem como, aparentemente, raças mais dóceis, como o dálmata, o Setter irlandês, Golden Retriever, o Labrador Retriever , o poodle miniatura, o Chihuahua, o pequinês, ou o buldogue francês, que também exibem comportamento dominante.


De acordo com Pérez-Guisado e determinadas raças, sexo masculino, um tamanho pequeno, ou uma idade entre 5-7 anos de idade são "os fatores de cão-dependentes associados à agressão maior por dominância". No entanto, esses fatores têm "um efeito mínimo" sobre o cão quando se comporta de forma agressiva. Fatores ligados às ações do proprietário são mais influenciadoras.

                                                cão bravo


Para corrigir o comportamento do animal, o proprietário deve manipulá-lo adequadamente e "re-estabelecer dominância sobre o cão", acrescenta o pesquisador. Em termos de punição física, Pérez Guisado-assinala que "este método não podem ser usados ​​com todos os cães, dado o perigo envolvido, embora possa ser usado para re-estabelecer o domínio sobre os filhotes ou cães de pequeno porte pela facilidade de controle" 

No entanto, "nunca deve ser usada como justificativa para o tratamento de um cão de forma brutal, uma vez que o castigo físico deve ser usado mais como uma forma de assustar e demonstrar o domínio que temos sobre o cão do que para infligir grande sofrimento do animal", afirma o veterinário.

Segundo o pesquisador, "os cães que são treinados adequadamente normalmente não mantêm comportamento de domínio agressivo". Perez-Guisado atribui esta conduta "excepcional" para a existência de algum problema médico ou orgânico ", o que pode causar mudanças no comportamento (exemplo dor)

Cães com maior possibilidade de fatores agressivos ou potencial ofensivo não devem ser manipulados, nem treinados por pessoas que na grande maioria das vezes não tem conhecimento necessário para o treinamento efetivo para estes animais, e nunca devem ser feitos por iniciantes.

Resgate





Cães em Resgate na água



Na 6 ª edição do Campeonato Nacional de Salvamento do cão e de Trabalho em Água. 

Esta foi uma oportunidade para mostrar como os cães podem contribuir efetivamente em ações de resgate. Um campeonato na Polônia onde os cães mostram suas qualidades nos resgates de pessoas em afogamentos.


      fotos de cães

Os cães pulam na água gelada para o resgate,  salvar e levar para a borda o suposto afogado

                      fotos de cães
Basicamente nada (cachorrinho) e vai puchando as pessoas que se prendem a seu corpo.
Onde os tempos são marcados configurando pontos.
                     fotos  cães



Cães de guerra







Ele é um cão de guerra cuja coragem salvou as vidas de dezenas de soldados britânicos.


                           Cães na Guerra


Então, quando Hobo, um labrador de dois anos de idade todo preto, ficou gravemente ferido durante a pesquisa e busca de minas do Taleban no Afeganistão, seus melhores amigos lutaram para mantê-lo vivo.


Agora apenas 10 dias depois que ele quase foi morto pelos estilhaços após o fogo durante uma emboscada, o cão de busca de explosivos está pronto para retornar à linha de frente  para farejar explosivos ​​e salvar as vidas dos soldados.

Hobo foi ferido em 21 de julho 2011, enquanto patrulhava com membros da 2 ª Companhia do batalhão Gurkha Rifles Reais e do Exército Nacional Afegão na área de Nahr-e-Seraj da região central do Afeganistão. Durante a patrulha, os soldados foram emboscados por insurgentes armados com armas automáticas e lança-granadas.

Hobo, que fará três anos de idade em 1 de agosto, foi atingido no pescoço e no estômago por pedaços de metal. Dois pedaços de estilhaços eram tão quente que imediatamente cauterizada as feridas no corpo dos cães, mas um outro fragmento deixou uma ferida aberta no pescoço de Hobo.

Capitão George Shipman, disse: "Nós percebemos rapidamente que Hobo havia sido atingido e estava sangrando pesadamente a partir da base de seu pescoço. Foi administrado um agente de coagulação do sangue e uma pressão foi aplicada na área  atingido para estancar o sangramento e proteger da infecção. "




o dia das Bruxas, halloween




O dia das Bruxas, Halloween o dia das Bruxas


20th Annual Halloween Dog Parade in the Tompkins Square Park in New York, conta com centenas de participantes, onde os proprietários de cães criam um novo visual para seus animaizinhos para o evento. 


                                                                   Lady Gaga

                         fantasia

fantasia

fantasia

fantasia

fantasia



                                fantasias

                                Fantasias


                                Fantasia


                                Fantasia


                                Fantasia

                                 Fantasia

                                 Fantasia

                                 Fantasia

                               Fantasia 

                               Fantasia

                             Fantasia  

                             Fantasias

cachorros de neve






Como os cães podem andar descalços na neve?

                             cachorros na neve



TÓQUIO (Reuters) - Você já se perguntou como os cães podem andar descalços na neve? Agora um cientista japonês pode ter a resposta - um sistema de aquecimento interno central.


O segredo está em como os cães circulam o seu sangue para evitar que superfícies frias  ataquem as extremidades do resto de seus corpos, de acordo com HiroyoshiNinomiya, professor da Universidade Yamazaki Gakuen, a oeste de Tóquio.

O sistema usa o sangue quente e oxigenado para aquecer o sangue frio que tem estado em contato com uma superfície fria antes de devolvê-lo ao coração do cão e da circulação central.

"Cães têm troca de calor no fim de suas pernas. O sangue arterial flui para o fim de suas pernas e, em seguida, aquece o sangue venoso antes de retornar para o coração ", disse Ninomiya de suas descobertas, publicadas na revista Veterinary Dermatology.

"Em outras palavras, eles têm um sistema de troca de calor em seus pés."


Ninomiya estudando a perna de um cão preservada, sob um microscópio eletrônico  descobriram que, devido à proximidade das artérias e veias na almofada da pata, o calor no sangue transportado do coração para as artérias é facilmente conduzido para o sangue nas veias que esta frio.


Esta transferência de calor mantém uma temperatura constante na pata, mesmo quando expostos a condições extremamente frias.


                              cachorros na neve

Os cães não são os únicos a ter este tipo de sistema de troca de calor, que é compartilhada por outros animais, como golfinhos, disse Ninomiya.

Mas nem todos os cães prosperam no frio, devido ao refinamento efetuado por criadores que procuram características específicas, "Os cães evoluíram dos lobos, e assim eles ainda têm alguma base na ascendência restante", disse ele.

"Mas isso não significa que se deve sempre ir e arrastar na neve nossos cães o tempo todo. Existem muitas variedades de cães hoje em dia que não são capazes de suportar o frio. "

tempo de vida - idade de animais





Animais de estimação vivem mais tempo!

Desde 2001, cerca de 1.000 pessoas se candidataram para o Guinness World Records com reivindicações para ter o mais antigo animal de estimação para as suas espécies, diz um recente artigo de revista FT que olha para a crescente obsessão com as idades dos animais de estimação. 


          idade canina



Com gastos globais nos EUA de mais de $ 50 bilhões em 2011, de acordo com a American Pet Products Association, animais estão sendo tratados com a melhor assistência veterinária e com proprietários mais ligados a seus animais de estimação e a tentar mantê-los vivos o maior tempo possível .


"Durante o século 20, a expectativa de vida humana aumentou 30 por cento, devido, medicina, higiene de alimentos e a água. A mesma coisa aconteceu, sem dúvida, aos animais de estimação ", diz Steven Austad, professor e especialista em envelhecimento da Universidade do Texas.

"A sensação é que os animais de estimação estão vivendo mais", diz DanBrockman, professor da Royal Veterinary College. "Nós certamente vemos gatos cada vez mais velhos, e em particular, os cães mais velhos. Os três pilares são o código genético, uma melhor compreensão das necessidades nutricionais e os cuidados que os animais recebem. ".


Facebook - boo - cães famosos




Facebook

Um em cada Dez animais de estimação têm perfis em redes sociais, segundo um novo estudo britânico. 

São animais de estimação mais populares do que celebridades? Alguns sim.


Um aviso: este cão é considerado insanamente bonito e ele é real.

                     facebook-boo-dog


Um novo estudo aponta que mais de 1 em cada 10 animais do Reino Unido têm um perfil no Facebook, Twitter ou YouTube. Encomendado pelo Petplan, uma empresa de seguros para animais, o estudo sugere que os animais podem ser mais populares do que celebridades e qualquer outra coisa em sites de redes sociais. E se um animal de estimação não tem um perfil de rede social, no entanto, suas imagens estão, provavelmente, já em um. Mais da metade dos proprietários de animais de estimação do Reino Unido compartilham fotos de seus animais de estimação, relata o Telegraph.


"... Os animais são mais populares do que celebridades no Facebook e em outros sites de redes sociais", disse Neil Brettell, diretor de Petplan seguradora.



 A imagem você vê acima é Boo, um cão que tem 3,4 milhão de amigos (curtir) no Facebook. Ele tem até um livro chamado "Boo:. A Vida do cão mais bonito do Mundo" .

metrô - e os cães







Metrô

Há uma nova raça de viajantes andando de metrô, e de diferentes raças. Há um conjunto de cães que realizaram o sonho moderno de um trabalho na cidade, com uma casa nos subúrbios. Especialistas que estudam o fenômeno descobriram que os cães aprenderam a andar de metrô e a julgar a quantidade de tempo que precisam ficar nos trens para se certificar de que eles devem descer na estação correta. 


                        fotos de cães     


Os cães do metrô iniciaram na década de 1990 após a queda da União Soviética e dos complexos industriais deixando os centros das cidades e se mudando para os subúrbios.  Hoje  tornaram-se uma visão bastante comum, eles ainda têm seu próprio site; www.metrodog.ru. (em russo, mas têm vários videos onde os cães convivem normalmente com os passageiros)


Os cães do metrô são estudados pelo Dr. Andrei Poiarkov, Prof de Ecologia de Moscou e do Instituto da Evolução. Os cães mais frequentemente escolhem os carros menos lotados na parte da frente e de trás do trem. Junto com a aprendizagem de como usar o metrô, os cães também aprenderam  a usar semáforos, e também aprenderam a subir no banco dos passageiros e com os truques mais adequadas para obtenção de alimentos de seus passageiros companheiros. 


                        Cão dormindo metro



Um grupo de zoólogos estão estudando a população de cães soltos em  Moscou e como eles estão se adaptando à vida em uma cidade em rápido crescimento e mudança. Alexei Vereshchagin é um desses cientistas e foi estudá-los desde o seu surgimento original como lobo até os atuais momentos na União Soviética.


Os cães tinham um problema, porque eles usam os complexos industriais como abrigos, mas o melhor local para encontrar comida está no meio da cidade. Assim, os cães aprenderam a usar o sistema de metrô para obter o melhor dos dois mundos. Os cães aprenderam também outras coisas como o uso de faixa de pedestres para evitar ser atingido pelos carros, e esperar que as luzes verdes de sinal para travessia de pedestres, pois a maioria dos cães são daltônicos.



É possível que os cães aprenderam a usar o metrô indo lá para se alimentar, as táticas principais que eles usam para obter comida é apenas para estabelecer contato com passageiros de metrô em estações movimentadas e simplesmente esperar por alguém para fornecer algo para comer. Os cães também parecem saber a sua maneira em se abster de perturbar os pilotos e guardas do metrô, é surpreendentemente raro encontrar cocô de cachorro no metrô considerando o número de cães usando o sistema.


                           cachorros no metro de Moscow

Uma das coisas mais interessantes que Vereshchagin tem notado é que os cães em Moscou (mesmo sendo cães de rua) não têm uma aparência magra e faminta. Aparentemente, a queda da União Soviética fez com que os cães sejam alimentados de alguma forma.

Alguns sugerem que a adaptação dos cães ao metrô se deu pela necessidade de se aquecer face as baixas temperaturas externas.

As crises econômicas têm gerado centenas de animais desabrigados por todo o mundo, nos Eua a crise imobiliária afetou muito as famílias, alegando que não mais podiam custear despesas, descartando seus animais, o mesmo temos visto mais recentemente na Europa e especialmente na Grécia.